Conheça a rinoplastia associada à correção da hipertrofia dos cornetos

Conheça a rinoplastia associada à correção da hipertrofia dos cornetos

Muitas pessoas associam a rinoplastia a um procedimento de natureza puramente estética, mas essa cirurgia pode estar atrelada a problemas de respiração, que podem contribuir ou evoluir para algo sério, como é o caso da hipertrofia dos cornetos. 

Caso tenha se interessado, nos acompanhe no artigo abaixo onde tentaremos esclarecer o que é e como se caracteriza a hipertrofia dos cornetos e a rinoplastia dedicada a resolver este mal. 

O que é a hipertrofia dos cornetos?

Os cornetos nasais são conhecidos popularmente como “carnes esponjosas”, que ficam dentro do nosso nariz. Esses cornetos estão localizados dentro da cavidade nasal e tem a importante função de aquecer e umedecer o ar que nós respiramos, evitando o ressecamento da região. 

O que é a hipertrofia dos cornetos?
Hipertrofia dos cornetos. Fonte/Reprodução: original.

A hipertrofia dos cornetos é o crescimento anormal dessa parte do corpo que, quando muito grande, causa incômodo ou até uma dificuldade para respirar, devido a uma obstrução.

Quais são os tipos de hipertrofia dos cornetos?

Existem 3 cornetos em cada cavidade nasal: corneto superior, corneto inferior e corneto médio. Geralmente, complicações na respiração ocorrem porque a hipertrofia dos cornetos aconteceu no corneto inferior.

Quais são os tipos de hipertrofia dos cornetos?
Tipos. Fonte/Reprodução: original.

A hipertrofia também pode acontecer em quadros onde a mucosa está ou não inflamada, sendo que no segundo caso o quadro é mais urgente e preocupante.

Graus de hipertrofia dos cornetos

A hipertrofia dos cornetos pode ser dividida em 3 graus: grau 1, quando os cornetos ocupam até 25% da cavidade nasal; grau 2, no qual ocupam até 50% e o grau 3 quando ocupam até 75%. 

Quais são as causas e os sintomas da hipertrofia dos cornetos?

As causas da hipertrofia dos cornetos podem ser diversas ou, até mesmo, se manifestar por uma junção delas: 

  • Congênita;
  • Rinites;
  • Desvio de septo;
  • Inflamação nasal.

Todos esses problemas podem acabar ocasionando a hipertrofia que, por sua vez, causa sintomas como respiração difícil, ronco durante o sono, secreção incomum e crises alérgicas. 

Como diminuir a hipertrofia dos cornetos?

Tudo depende da intensidade e do parecer do especialista a respeito de como está a hipertrofia dos cornetos do paciente. Com o diagnóstico em mãos, o profissional irá apontar um dos procedimentos abaixo.

Tratamento clínico

Casos especialmente ligados à rinite ou a alguma condição que causou a hipertrofia. Nesses casos, o médico entra com remédios ou mudanças de hábitos do paciente, que podem resolver toda a situação. 

Tratamento cirúrgico

Este é o caso mais extremo para quadros de hipertrofia que não são resolvidos com o tratamento clínico. Vejamos alguns desses casos:

Cauterização dos cornetos

Nessa intervenção, é removida a parte excessiva dos cornetos, que estão obstruindo as vias respiratórias.

Ressecção parcial dos cornetos

É o caso da rinoplastia em si. Na ressecção, é feita a cauterização dos cornetos que, por conta do procedimento, diminuem de tamanho.

Tratamento do desvio de septo nasal

Tratamento exclusivo dos casos em que o problema da hipertrofia é causado pelo septo nasal. Nessa situação, é feita uma septoplastia.

Quais são os exames pedidos para a hipertrofia dos cornetos?

Alguns exames clássicos são pedidos pelo médico para chegar ao diagnóstico da hipertrofia. Entre os mais comuns estão: endoscopia nasal, rinoscopia, espelho de Glatzel e espéculo otológico.

Como saber se preciso fazer a cirurgia de hipertrofia dos cornetos?

Quem chegará a essa decisão será o especialista. Tudo o que a pessoa deve fazer é observar e perceber se manifesta, no seu dia a dia, alguns dos sintomas e caso positivo, deve procurar o médico para o diagnóstico correto. 

Abrir conversa
Nariz Perfeito
Olá, podemos te ajudar?